sexta-feira, fevereiro 13

Entrar em Faro, uma odisseia

Entrar em Faro, devido a algumas contingências temporárias, é mesmo uma odisseia!
Saio poucos minutos depois das 18 Hs. da Zona Industrial, nas Pontes de Marchil, pensando tomar a EN 125.
Impossível! A fila chega quase ao Patacão!
Há obras a decorrer à entrada da cidade e é natural que isto aconteça!
Assim, tomo a circular externa a Faro a pensar que pela estrada de S. Brás (EN 2) tudo estaria normal!Qual quê! A fila já está na Circular Externa!
Percebe-se que para fugirem à entrada pela 125 os condutores optem pela Estrada de S. Brás!
Volto para trás a pensar chegar ao Patacão e enfiar pela Est. da S. Da Saúde!
Chego a Mar-e-Guerra e aí está uma placa a dizer trânsito cortado....
Passo pelo Chelote a pensar ir pela Est. da Penha, mas ainda antes do cemitério e da Assoc. Columbófila, já está a fila!
Está mesmo a ser uma odisseia entrar em Faro!
E não vejo nem uma autoridade reguladora do trânsito...
Resta-me ir apanhar a Est. de Olhão!
Novamente a fila aí está, mas acabaram as alternativas!
Aí vou pacientemente, cheio de impaciência, em direcção à Rotunda do Hospital, onde acabo por chegar depois de algum sofrimento!
Mas eis que aí está a autoridade!Não a ajudar a fluir o trânsito mas espectadores atentos daquele estado de sítio!
Uma viatura bem à vista e dois agentes com coletes reflectores “ a ver a banda a passar!
Contorno a rotunda para me dirigir para a Est. de S. Luís, mas para virar à esquerda, só com um milagre!
A fila que já vem quase desde o Liceu não permite, apesar de no chão estarem os tais riscos amarelos a indicar que é proibido parar!
É o nosso civismo!
Por fim lá aparece alguém que cumpre o código e entro finalmente da Est. de S- Luís!
São 18.45 Hs.
Quem quer que seja que venha a gerir os destinos de Faro, tem que com muita seriedade pensar nas acessibilidades!
Parece que está tudo programado para Sócrates vir a Faro quando começarem as obras para conclusão da Circular Externa a Faro!
Venha ele e arranje mais uns Euritos para se resolverem os problemas dos outros acessos!
A cidade agradece!

12 comentários:

Anónimo disse...

Passo pela mesma situação todos os dias pois saio do trabalho pela mesma hora (18h00) e entro em Faro pelas Ponte de Marchil. No nó da Volvo encontro sempre o trânsito parado com a fila a ir até ao Patacão, a maior parte das vezes entro tenho de me conformar e entrar em Faro por este acesso, vou no para e arranca até ao forum onde frequentemente vejo a PSP a olhar para os carros!!! continuo até casa... Por vezes opto por não entrar pelo nó da Volvo, continuo pela meia variante a Faro até á estrada de S. Brás onde chegado me deparo novamente com o trânsito parado, mais uma dose de paciência até entrar na cidade, sem ver um único policia de trânsito!!! Por vezes não tenho paciência para entrar pela estrada de S. Brás e opto por ir até ao Chelote e virar á direita para ir entrar em Faro pelo Rio Seco, onde chegado me deparo novamente com o trânsito horrivel, até compreendo pois temos acessos muito escassos, temos poucas estradas e alternativas mas não compreendo novamente a ausência de policia para ajudar a escoar o tráfego que circula na EN125 por dentro de Faro. Como é possivel que a PSP não dê prioridade na hora de ponta ao escoamento da EN125 entre a rotunda da Cadeira e a rotunda da BP passando dentro da cidade? esta falta de meios, amadorismo e incompetência deixa-me tão revoltado que nem consigo exprimir aqui por palavras o que sinto! Não basta o facto de nas últimas décadas não se terem construido acessos e alternativas rodoviárias em Faro como também temos de levar com a pasmaceira da PSP para a qual é mais importante a hora da rendição do turno ás 20h00 do que manter, ou pelo menos tentar, o minimo de escoamento de trânsito.

Faro está doente, o sangue não circula nas suas veias, milhares de pessoas perdem horas no trânsito de Faro com claros efeitos negativos em muitas pequenas e médias empresas.

Anónimo disse...

Pelo que leio, parece-me que Faro está doente mas só a partir das 18:00 horas.
Conhecem alguma cidade digna desse nome, que não tenha dificuldade nos acessos? Eu não.
Ninguém prescinde de levar o carrito para tudo o que é lugar!
Também entro em Faro pelas Pontes de Marchil todos os dias por volta das 18:00. Também bato com a manita no volante e também abano o capacete com a impaciência. Também reparo nos ditos cujos bem fardadinhos e também vejo que não mexem uma palha.
Aproveito para ouvir as notícias ou ouvir alguma musica.
Também já experimentei todas as entradas e cheguei á conclusão que o mais rápido é pelas Pontes. E qual foi o pior "crono" até agora? Cerca de 15 minutos par o percurso Pontes/Cadeia, e com desculpa, havia um pequeno toque entre dois carros.
Para resolvermos isto deixo aqui duas sugestões:
Ou diminuimos o uso do carro próprio ou exigimos uma entrada na cidade para cada um de nós. E que tal!?
Para esta o Apolinário não tem resposta. Talvez o Macário!
Cumprimentos Pedro
Bom fds
FVfp

Anónimo disse...

Pois eh :D

Anónimo disse...

O Sr. FV devia lá ter passado na qurta e na quinra!15 minutos? Diga-me como se faz pois eu não consigo!
Na passada quarta também levei do Patacão à cadeia cerca de 45 minutos!Deve ser uma questãi tática!

Anónimo disse...

O Sr. FV deve ser daquele tipo de pessoas que gosta de ser contra, mesmo sabendo-se dos graves problemas de falta de acessibilidades em Faro, tem de ser do contra, anedótico!

Anónimo disse...

"Para resolvermos isto deixo aqui duas sugestões:
Ou diminuimos o uso do carro próprio ou exigimos uma entrada na cidade para cada um de nós. E que tal!?"

Sr. FV, você não deve ser de Faro ou então só conhece Faro e toma esta cidade como exemplo a seguir por desconhecimento de outras realidades.

Mas que alternativas temos? temos uma boa rede de transportes públicos? modernos, frequentes e com faixas reservadas aos mesmos? temos uma ligação por metro ligeiro para ligar Gambelas, Montenegro e aeroporto á cidade? temos entradas em Faro (capital de distrito) dignas desse nome? eu vejo no Rio Seco uma estrada nacional sem iluminação e sem passeios para peões com um sentido para cada direcção, vejo a entrada pela Penha sendo uma estrada municipal com uma faixa para cada lado, sem bermas e sem iluminação, vejo a entrada pela nacional nº2 (S. Brás) sendo uma estrada com duas faixas para cada lado, sem bermas e sem iluminação e vejo por último a entrada pelas Pontes de Marchil que, apesar de ter duas faixas para cada lado, não tem passeios para peões e tem uma iluminação fraca. Resumindo, temos em Faro 4 entradas na cidade, 3 das quais são terceiro mundistas sobrando uma que todos os dias não tem capacidade para escoar tanto trânsito.

Se este panorama é para si sinal de qualidade, e de que está tudo bem e que nós é que devemos mudar os nossos comportamentos e ponto final, discordo, a cidade chegou a um ponto inacreditável em termos de acessos.

Anónimo disse...

Para lá da estrada que é necessário ser feita há outras notrícias e boas:A ministra da Saúde, Ana Jorge, deslocou-se hoje a Albufeira, para apresentar a Rede de Urgência Básica do Algarve, no âmbito da requalificação das urgências definido pelo Ministério da Saúde.

Integrados nos centros de Saúde de Albufeira, Loulé e Vila Real de Santo António e no Hospital de Lagos, os Serviços de Urgência Básica contam também com os serviços de Urgência Polivalente no Hospital de Faro e de Urgência Médico-Cirúrgico no Hospital de Portimão.

O funcionamento dos SUB's de Albufeira, Loulé e Vila Real de Santo António é assegurado por dois médicos, três enfermeiros, um técnico de radiologia, equipamento de RX digital, electrocardiograma com desfibrilhador, análises clínicas e sistema de triagem de prioridades, ligados por via informática aos hospitais.

Actualmente a rede de urgência inclui ainda três viaturas Médicas de Emergência e Reanimação (VMER), sedeadas em Portimão, Albufeira e Faro e duas ambulâncias de Suporte Imediato de Vida (SIV), em Tavira e Lagos.

Para o próximo mês de Março estão previstas outras duas ambulâncias SIV, uma para Quarteira/Loulé e outra para Castro Marim.

Segundo a ministra, o Algarve é a primeira região do País que "tem concluída" a rede de urgência/emergência." -------- Até
que enfim - Era

Anónimo disse...

Si sim..o macário vai trazer a solução para este problema... Não me gozem

Anónimo disse...

Para o Sr. Anónimo das 10:38.
Vou repetir:
Também sou impaciente;
Também não gosto de esperar;
E nesse troço já fui multado por excesso de velocidade. Circulava a 81 km/h.
Entro em Faro todos os dias entre as 17:50 e as 18:15, e não me recordo de alguma vez ter levado mais de 15 minutos entre as Pontes e a Cadeia. Mas irrito-me na mesma. Quero é chegar a casa.
Quanto aos 45 minutos, admito, mas foi um dia excepcional concerteza, pelo menos a essa hora.
Cumprimentos
FVfp

Anónimo disse...

utilizem ttransportes publicos

Anónimo disse...

Coisas do Público Jornal:Critérios de capa

Passei pela banca de jornais e chamou-me a atenção a capa do Público.

Parece que este periódico está a ter problemas em apresentar o rosto de José Sócrates.

Quando apresenta propostas, e ontem à noite apresentou a sua moção, com particular destaque para a defesa da regionalização e de como o PS deve encarar o processo de referendo, numa sessão que decorreu em Évora, o Público coloca na primeira página a sombra do Secretário-Geral do PS. Como se o PS tivesse um líder que fosse uma sombra ou alguém sem rosto.

Assim que pretende apresentar ou insinuar qualquer condenação ao líder socialista e Primeiro-Ministro, eis a face de Sócrates em grande destaque na capa do Público... e sem sombra.

Critérios interessantes, mas pouco coerentes, como se percebe.

Do Blog Câmara de Comuns

Anónimo disse...

Anónimo das 12:32 AM: Quais transportes públicos? Só se for os que não existem!!!


..................................

E já agora: o pior nem é o tempo que se demora e as filas que se acumulam. Pior de tudo é o lindo estado em que qualquer uma dessas estradas se encontra, especialmente as que nos levam do Patacão ao Chelote, daí até à rotunda da Conceição e a própria Estrada de São Brás (só para mencionar as mais movimentadas...)
Até pode ter sido muito boa a obra de saneamento e esgotos que levou a 600 familias (segundo os cartazes) bens preciosos como a água da rede. Mas e o estado em que ficaram as estradas? Autênticas ratoeiras cheias de buracos não sinalizados; um verdadeiro mar ondulado onde os carros têm de circular aos "esses" para se desviarem dos obstáculos; enfim... para quem ali mora e não foi contemplado entre os 600 e tem de fazer as ditas estradas todos os dias não é fácil, vos garanto!

Margarida Brito