domingo, abril 10

ÓBVIAMENTE, DEMITO-ME

Onde isto chegou… Nesta coisa a que alguns insistem em chamar país, nesta coisa onde nasci, cresci, contribui e defendi, nesta coisa com a qual já não me identifico, só posso fazer uma coisa:- DEMITO-ME! Como foi possível tão poucos terem roubado tanto? Agora chegou a “falência”! Mas os “vários gerentes” desta coisa não serão responsabilizados como seria qualquer gerente de uma qualquer empresa privada…. Nesta coisa onde a justiça é feita pelos políticos, onde a saúde só existe para os ricos, onde a educação não serve para educar mas tão somente para mandar números para a Europa, onde foi retirada a força às autoridades, onde as obras públicas derrapam sempre para o dobro ou o triplo e ninguém sabe para onde vai o dinheiro, onde um PM mente descaradamente e nada acontece, onde a corrupção está ao nível dos países mais atrasados de África, onde se acabou com uma frota pesqueira, onde há milhões de hectares de boa terra abandonados, onde o critério de escolha para qualquer lugar de confiança política é o compadrio e não o valor, onde se insiste em obras megalómanas que nada trazem de mais valia para esta coisa, onde os tribunais prendem as vítimas e soltam os criminosos, onde se quer reduzir as miseráveis pensões de reforma de uma população que trabalhou de sol a sol, e que se paga a farmácia, não se alimenta ou vice-versa….a isto não se pode chamar país! Isto é uma coisa… E eu não me revejo nesta coisa! Por isso DEMITO-ME! “DEMITO-ME não dos meus deveres, mas dos meus direitos!” Irei aguardar por um qualquer 26 de Abril para então pedir a reintegração! Um dos milhões de desiludidos!

3 comentários:

Cata- Vento disse...

Já somos dois, Pedro! Há muito que a desilusão se instalou e a esperança vai definhando a cada dia que passa. Quero novos políticos, novas políticas que criem um país novo onde haja igualdade de oportunidades para todos. Os nossos filhos e netos merecem-no.
E por aqui me fico mas concordo contigo.

Bem-hajas!

Abraço fraterno de uma serrana que só vê crescer nos campos ervas daninhas e matagais.

Carlos disse...

Pedro! Concordo plenamente
contigo e agora já somos três!!

Carlos disse...

E agora já somos três, porque
concordo plenamente!

Abraços.

C.Botas