segunda-feira, abril 2

A Minha Escola

Foi aqui, na Escola das Barreiras Brancas, em Loulé, que aprendi as primeiras letras e fiz os primeiros Amigos!
Não foi fácil, a princípio, pois a professora, D. Zita(?), que morava na avenida, não engraçava muito comigo nem eu com ela! Várias vezes me passou "a menina" pelas mãos....
Depois, mudou o professor, e aí, tudo foi diferente! O Prof. Guerreiro, que viria a ser mais tarde Director Regional, era um jovem que se dava ao respeito, respeitando a rapaziada!
Foi das primeiras pessoas por quem comecei a nutrir uma admiração especial, e que ficou para sempre! Devo-lhe um Obrigado, é certo que tardio, mas aqui fica!
Recordações da Escola, são mais que muitas.....
Em frente havia um lagar e quando laborava era ponto obrigatório de passagem pois lá havia " um petisco divinal" que era pão caseiro torrado, regado com aquele azeite puro e belo, e coberto de açucar amarelo!Acho que todos os dias lá ìa...
Ao lado era a carpintaria do Sr. Gabino! Também era quase obrigatório passar por lá para ver "como dumas tábuas fazia mobílias"! E às vezes traziam-se uns restos de madeira que para nada serviam senão para exercitar a nossa imaginação criativa!
Mais ao lado estavam os armazéns de alfarroba do Sr. José Emídio!Eram milhares de sacas de alfarroba amontoados, que para nós eram montanhas onde fazíamos alpinismo....
Atrás do campo a bola, na rua que vai para o bairro, tínhamos a nossa piscina! Um tanque duma horta que nos regalava nos dias mais quentes!
Mais acima havia a Adega do Sr. Teixeirinha, na esquina com a Avenida, onde funcionou o Quartel dos Bombeiros! Enormes pipas, uma zona de lavagem de garrafas, o enchimento e uma maquineta de meter rolhas! Nessa altura o "néctar" ainda não fazia parte dos meus gostos, mas havia sempre qualquer coisa para fazer lá!
No fim da Avenida havia o Pinguinha sapateiro, onde também ía com alguma frequência e o "raio de acção" ficáva por aqui!
Com o tempo, o raio de acção foi aumentando, e um dia conto-lhes outras "estórias" da minha vida em Loulé, "Terra de Caceteiros"!

9 comentários:

Anónimo disse...

Gostei ... lembrar é preciso ...
:)

Lembro o que me custava palmilhar aquela avenida da EVA ao colégio da Arlinda ... era um nunca mais acabar ... e agora ... é logo ali ...

Liliana

Anónimo disse...

O petisco do lagar tem o nome de "TIBORNA".
Por esse país fora fazem também com bacalhau. Eu cá gosto assim, só com panito torrado, azeite e açucar.
Um abraço.
FV

Anónimo disse...

Mas esta escola da imagem não me parece ser a da Barreiras Brancas, mas sim a de Loulé, junto à Ermidas das Portas do Céu, na Expansão Sul.

António Almeida disse...

Será Pecas que as Barreiras Brancas estavam aqui tão perto?
Ou o nome da escola era mesmo esse e nada tinha a ver com o homónimo sítio?
Bela história a que aqui deixaste!

Pecaaas disse...

A Escola chamava-se mesmo Escola das Barreiras Brancas, apesar de estar bem longo das Barreiras Brancas! Alguém de Loulé que me corriga se eu estiver enganado! O Lagar era o das Portas do Céu!
Um abr para loulé
Pedro

António Almeida disse...

Essa escola agora é designada E.B.1 nº4 ou vulgarmente das Portas do Céu. Vivo em Loulé desde 83, não sou de Loulé... mas não encontrei quem desse o nome "Barreiras Brancas" a essa Escola... é possível que tenha caído no esquecimento!
http://sebastiao.blogs.sapo.pt

jmvairinhos disse...

.Escola da Barreira.
.Arq. Raul Lino
.Uma preciosidade.
jmvairinhos

jmvairinhos disse...

Prof. Quita.
Cumprimentos

odilia disse...

Escola da Barreira. Não a frequentei, mas morei ao pé durante alguns anos...belos anos!!!