quarta-feira, abril 4

Por esta porta....

Por esta porta entrei e saí milhares de vezes.....
Entrei feliz, entrei triste, barulhento, em "passo fantasma", sózinho, acompanhado, entrei e saí...
Rua Poeta Aleixo, em Loulé! Foi aqui que vivi mais de uma dezena e meia de anos! Na altura o número da porta era o 4 . Hoje é o 30. Só este pequeno grande pormenor diz muito! Muita coisa mudou!
Era uma casa grande para um casal com cinco filhos! Por baixo havia um armazém do tamanho da casa e que serviu para quase tudo! Lembro-me da azáfama que por lá reinava em tempo de carnaval! Vários carros alegóricos foram lá feitos! Quantas flores de papel terei feito e colado?
Mas o armazém também serviu para fazer jogos de hókey e sobretudo para os ensaios dos "Caveiras Negras" que viraram "Top Kings"! Muito se "assassinou" a música naquele espaço...
A garagem, foi em determinada altura convertida em "boîte"! Luzes psicadélicas e aparelhagem do conjunto, muito barulhenta!
Recordo-me da tentativa para se conseguir ver televisão! Ainda não havia o emissor da Fóia mas algum "iluminado" terá dito que com uma antena bem alta se conseguia ver através de um qualquer outro emissor! Foi uma "guerra" pôr no ar um mastro com não sei quantos metros, mas eram muitos, com espias para todos os lados, para no fim nada se ver! Que frustração! Ficou lá "plantada" até o emissor da Fóia entrar ao serviço!
Além desta porta havia uma entrada pelas traseiras que foi, em boa hora, responsável por passar a haver cães lá em casa!
Um dia andava a carroça dos cães a apanhar com laços de arame os cães "vadios"! Era violento! Cercavam os bichos e com um laço enorme enlaçávam o cão pelo pescoço! Era o fim! A carroça seguia para o Matadouro e os animais eram mortos!
Certo dia avistei a carroça perto da escola das Barreiras Brancas e "um cão em pânico a fugir dos persseguidores!"
Abri o portão e o cão entrou rápido, fugindo assim a morte certa! Foi logo baptizado "BoBy"! O "concelho de família" aprovou a adopção e daí para a frente não mais deixou de haver "quatro patas" lá por casa!
Voltando à casa, teria 9 ou 10 divisões, mas a sala tinha uma "sabor" especial porque tinha lareira! Muitas horas passei a ver o "bailado das labaredas" que me fascináva! Ainda hoje não sei do que gosto mais numa lareira:- Se o calor que dela irradia se o espectáculo que proporciona!?
Hoje fico por aqui, pois muita coisa tenho para dizer de Loulé! Ainda não saí do meu pequeno raio de acção! Ele vai estender-se desde a casa de bicicletas dos manos Besouro, na Ladeira do Rato, até à Ceaal, hoje EDP, na estrada para S. Brás.
O tema musical para este post chama-sed "Recordando". interpretado por "Pancho&Sal".

2 comentários:

Anónimo disse...

Boa Páscoa Pedro

Vieira Calado disse...

A história que aqui se conta dos homens do laço a catrafilar cães e o salvamente dum desses desgraçados, faz logo lembrar a história do Vidal a salvar um cão, das garras do Gaiana, à entrada do café Aliança, em Faro, em 54 (que mais tarde havia de ser célebre, com direito a placa comemorativa dos 50 anos e blog, na internet).