quinta-feira, outubro 15

Abecedário de Faro

À laia de descompressão da campanha eleitoral, começa hoje uma forma diferente de falar de Faro!
O abecedário de Faro não é senão a forma de a cada letra associar um artigo sobre Faro!
E começando pelo A, lembrei-me de ALAMEDA!
A Alameda é um cantinho da nossa terra que a todos enche de orgulho!
Todos nós temos algo para contar que se tenha passado na Alameda!
Pessoalmente recordo que ali joguei hóquei em patins, assisti a grandes jogos de basquete do Farense, fui a bailes e espectáculos que recordo alguns serem a favor da Casa dos Rapazes, terei estado naqueles bancos mais escondidos e mais recentemente para ali fui muitas vezes passear os meus filhos!
É realmente um jardim fantástico com uma beleza incomparável!
Convido os Farenses a virem aqui avivar a memória de todos, com assuntos ligados à Alameda!
Fiz uma recolha sobre a Alameda e encontrei:-
Jardim situado na zona leste da cidade, perto da Ria Formosa, começou a ser construído ainda no final do século passado. Constitui o maior espaço ajardinado de Faro, sendo composto por um pequeno bosque onde predominam várias espécies da fauna e da flora. No topo do jardim existe um interessante edifício de gosto neo-árabe, que já foi Matadouro Municipal.
De geração em geração, o jardim público mais antigo de Faro continua a ser o local privilegiado dos passeios de fim-de-semana
Ponto de encontro dos habitantes de Faro, a Alameda João de Deus teve honras de se assumir como centro lúdico da cidade no final do século XIX, quando aosfins-de-semana as famílias ali exibiam os seus melhores trajes em ambiente de descontracção próprio dos dias de lazer.
Hoje, mais de um século depois, o centro da capital algarvia está confinado à zona costeira, mas a Alameda continua a reunir a preferência das famílias farenses que aproveitam este espaço único da cidade para gozar a tranquilidade cada vez mais difícil de encontrar junto aos centros urbanos.
De geração em geração, o jardim tem sido testemunha silenciosa de relatos de experiências, assistiu ao desenvolvimento de muitas ideias, tornou-se confidente de segredos e viu nascer e crescer muitas histórias de amor.
A Alameda João de Deus é por isso mesmo um jardim de memórias, testemunho de conversas, piropos, namoros, casamentos e outras tantas histórias passadas ou actuais que marcaram a vida dos farenses.
Inspiração islâmica
O jardim público mais antigo da capital algarvia foi construído no século XIX e deve o nome ao poeta e pedagogo João de Deus, autor da célebre «Cartilha Maternal», adoptada em Portugal como método oficial de aprendizagem da leitura a partir de 1888.
Da época, este espaço guarda a traça original e as antigas casas dos jardineiros, instalações que actualmente servem de apoio às numerosas actividades que têm lugar na Alameda.
A fachada neo-islâmica (património classificado) do antigo matadouro da cidade remonta à data de construção do jardim e constitui hoje um dos três acessos.
A Biblioteca Municipal de Faro, que fica paredes-meias com o jardim, aproveitou o espaço do antigo espaço do matadouro para ali se instalar e a sua imponente fachada com motivos orientais faz a transição entre este espaço cultural e a Alameda.
Faro é actualmente uma autêntica cidade universitária com 12 mil estudantes que animam e têm um peso considerável na economia da capital do Algarve.
Também eles são assíduos frequentadores deste espaço verde que reúne as condições ideais para ler ou navegar gratuitamente na Net, porque a autarquia dotou a zona de acesso à Internet sem fios, como forma de captar visitantes.
Para todas as idades
Há pouco menos de dois anos, o jardim foi alvo de uma intervenção que permitiu a plantação de meia centena de árvores e cerca de 500 novos arbustos, além da repavimentação e da instalação de ummini-golfe.
Com as últimas obras de melhoramentos concebidas a pensar em todas as faixas etárias da população, que dotaram o parque de dois parques infantis e uma zona destinada ao exercício físico dos mais velhos, é comum assistir-se às habituais brincadeiras das crianças enquanto os idosos vão mantendo a forma no parque geriátrico.
Uma iniciativa da Câmara Municipal de Faro, ímpar em jardins públicos nacionais
Sempre que o Sol espreita, é raro encontrar algum equipamento de diversão livre.
Crianças e adolescentes deliciam-se com os campos de mini-golf e de futebol, onde pais e avós ensinam aos mais pequenos os primeiros passos associados a estes desportos.
Fruto de parcerias com diversas empresas e instituições, o jardim é palco de outros eventos e actividades praticamente todos os fins-de-semana.
As aulas de Yoga no relvado, por exemplo, têm muita aceitação junto dos visitantes, causando o espanto e a admiração de muitos perante os harmoniosos exercícios realizados em perfeita comunhão com a natureza.
Para momentos de maior intimidade, o jardim reserva um pequeno recanto, ladeado de banquinhos de cimento a imitar troncos de árvores, que beneficia da sombra e frescura da água dos pequenos riachos circundantes.
Numa área com cerca de dois hectares convivem harmoniosamente plátanos, palmeiras, malvas e cinerárias, entre as largas centenas de espécies que dão vida ao jardim.
Os pavões são, contudo, o ex-libris daquele espaço.
Passeiam-se livremente pelo corredor principal ou pelas zonas ajardinadas e com um pouco de sorte pode apreciar o ritual de conquista próprio destas aves, quando o macho abre a cauda em forma de leque para atrair a fêmea, num espectáculo de rara beleza.
Em cativeiro, podem ser apreciadas outras aves exóticas e alguns coelhos, que atraem a curiosidade dos mais pequenos sempre ávidos de novas descobertas.
Do simples passeio a actividades desportivas ou de diversão, a alameda de Faro é um pequeno oásis para os amantes das actividades ao ar livre..
O Antigo Matadouro de Faro
Tendo esta edilidde conhecimento de que se estava a construir um matadouro em Coimbra, solicitou, em1896, aos responsáveis daquela câmara, que enviassem uma cópia do projecto.Como resposta veio a esta cidade o concessionário daquele empreendimento, Guilherme Cardoso, mostrar diversos projectos, uns em construção, outros já concluidos.
De imediato começaram as obras no término da principal avenida recém criada Alameda Vasco da Gama, estando concluidas três anos depois, em 1899.
É considerado uma das mais expressivas manifestações de arte Neo-Árabe.
A renovação do espaço deu-se em 1999, tendo a nova Biblioteca Municipal Ramos Rosa surgido no mesmo espaço em 2001.
Do Matadouro, ficou apenas como testemunho a sua fachada que serve hoje em dia como porta para o átrio principal.

Podem ir pensando num tema para a letra B.

10 comentários:

Anónimo disse...

Boa ideia e obr. por nos ter recordado as origens da Alameda!
Hernani

marceano disse...

Quantos Aneis das palmeiras guardam os Amores presenciados e lá Arquivados? Arvores fieis, não Abrem a boca, que não têm.Nem pernas para correr, silêncio gravado, apenas.
Ir à Alameda nos anos 50, de dia, era significado de: namorar. Mas...um previlégio..A moça querer lá ir também, AAAhhh! era um encanto, ficava logo uma paixão, tal Anuência.!
O ambiente continua místico, de facto. E as noites eram fortes, toda a gente dos arredores, os que podiam transportar-se, enchiam as festas e os bailes, e os desportos altamente competitivos.!
Nesses anos, com os pais, nem quase conseguíamos pisar o ring, o baile. Tanta gente. E nos 60s também, aí já pelos nossos pés.Que às vezes bailavam um bolero ou um tango~~~~
Faro vivia essa intensa alegria.!!
Parece que hoje, todos ou quase se esquecem que este jardim existe.
Onde o ar cheira ao mesmo..!
Agradável sentar num banco de há 50 anos, falta sim e que pena, a namorada que gostávamos, aqui ao lado...de mão dada. Uma conquista...
Bom tema este que trazes, o da saudável saudade.
Vamos estando por cá...e iremos uma vez mais à Alameda.!

Anónimo disse...

Caro amigo Pedro:

Faço uma pequena correcção ao texto:
"Jardim situado na zona leste da cidade, perto da Ria Formosa, começou a ser construído ainda no final do século passado."

Sei que para a nossa geração constitui uma dificuldade admitirmos que já vivemos em dois séculos, mas é a verdade, por isso alerto que a Alameda foi construída no final do sec. XIX, e, o século passado foi sim o sec. XX (aquele em que nascemos, passamos a adolescência, e, grande parte da nossa vida adulta).
Um forte abraço

Anónimo disse...

Caro amigo Pedro:
Os meus agradecimentos por este contributo para o conhecimento desta nossa cidade e concelho FARO.
E já agora, como tema para a letra B, que tal "O BARCO DA CARREIRA"?
Um forte abraço

Pedro Cabeçadas disse...

Obrigado pela colaboração!Relativamente à letra B tinha pensado no Bairro Centenário!
Talvez seja nesta altura mais pertinente que o Barco da Carreira? Que me diz!Confesso no entanto que não conheço a história do Bairro Centenário!Mas que é preciso mudar aquilo, isso é!
Obr
Pedro

Anónimo disse...

Bom João. Outro bairro mítico de Faro. Pode ser ?
Da Carreira, será da antiga carreura de tiro, ali para os lados do Alto Rodes e traseiras do S. Luís ?
De qualquer modo a letra b como inicial bairro, tem muito por onde escolher.
Desculpem a minha ignoracia, apesar de farense, aí não vivo há mais de 30 anos.

Fernando

Anónimo disse...

Caro amigo Pedro:
E porque não os dois temas?
Alvitrei O BARCO DA CARREIRA por achar que tem um significado grande para os farenses, e seria uma forma de homenagear algo que já quiseram fazer desaparecer e que de novo voltou.

Pedro Cabeçadas disse...

Então eu convido os comentadores a fazerem um pequeno texto para publicar!Eu farei do Bairro Centenário, outro fará do Barco da Carreira e o outro do Bom João!
Enviam o que têm e eu publico juntando algumas imagens!
Está combinado?
Então, mãos à obra e BFS

Anónimo disse...

O país dos sabe tudo..nem paridos eram ainda...uma alarvidade nacional..faz vómitos..brrrrr

Anónimo disse...

Grande colaboração dada por este alarve!Mas fomos paridos e provavelmente este alarve foi cag....do