segunda-feira, outubro 26

F de FARENSE


Dizer alguma coisa sobre o Farense é uma tarefa difícil, sobretudo porque é falar de uma instituição que no próximo ano irá completar 100 anos!
Espero que quem de direito trate do programa comemorativo com toda a dignidade que o Farense merece!
Reconheço que não serei a pessoa mais indicada para falar do nosso clube mas espero que os verdadeiros Farenses aqui venham complementar o que aqui ficar escrito!
Para mim, o Farense começou nos idos anos 60!
Foi quando me fiz sócio, pela mão do Henrique Santos, na campanha dos 5.000 !
Comecei então a viver o Farense de uma forma activa, deslocando-me com frequência a acompanhar o clube!
Vivi a subida vertiginosa da 3ª. À 1ª. Divisão!
Lembro-me de ir comemorar a subida à 1ª. com o Sequeira, à data jogador do Farense e um outro jogador que era filho do treinador! O nome ???
Costumo dizer que sou um Farense feliz pois estive presente na maioria dos grandes feitos do nosso clube!
A convite do meu Amigo António Boronha fui vice-presidente para a área do Marketing/Publicidade!
Com a ajuda de um grande Farense, Joaquim Barão, conseguimos gerar verbas interessantes mas o dinheiro era sempre pouco!
Já nessa altura o deficit do Farense era preocupante!
Questionei-me muitas vezes “onde é que isto vai parar”?
O momento que mais me marcou foi sem qualquer dúvida a final da Taça de Portugal!
Nessa altura, o José Bento, convidou-me juntamente com o Joaquim Rogério e o seu irmão Vítor Bento, para gravar o Hino do farense!
Ensaiamos numa noite no Clube Farense e na noite seguinte foi a maratona de gravação na Diapasão, uma casa de comercialização de instrumentos musicais e escola de música!
Foi verdadeiramente uma maratona, mas, quanto mais cantávamos mais apetecia voltar a cantar! Já depois das 2 da manhã, o trabalho estava pronto!
A assistir à gravação estava o jornalista e Amigo Zé Mealha, que trabalhando na Rádio Clube do Sul, foi àquela hora pôr no ar em primeira mão o “Hino do Farense” e nós a ouvirmos num rádio!
Confesso que me emocionei! Ainda hoje quando oiço o nosso hino, lá vem o nó na garganta! Bem ou mal fiquei com o meu nome ligado para sempre ao Grande Farense!
Mas, no meu percurso na direcção aconteceram algumas situações caricatas!
Lembro-me num jogo contra o Porto em que para proteger o sr. Pinto da Costa, levei com uma quantidade de garrafas de água encima!
Esse senhor nesse momento elogiou a direcção do Farense pela forma como tinha resolvido os problemas surgidos, mas o que é certo é que o Estádio de S. Luís, foi interditado!
Recordo também um golo do Farense em que a bola entrou pelas malhas laterais e o árbitro validou o golo! O Alves, outro grande Farense e à data dirigente do clube, no meio da confusão entrou em campo, foi buscar a bola e coloco-a no centro do campo...
Também não esqueço a enchente do S. Luís para um jogo que não chegou a realizar-se...
Com algum orgulho recordo que quando as tensões entre o clube e a Câmara atingiram um ponto preocupante, com cortes de relações entre pessoas, sentei à mesma mesa o meu Amigo João Botelheiro, à data Presidente da Câmara e o António Boronha Presidente do Farense! Normalizaram as coisas e o Farense lá continuou o seu percurso!
Tenho muitas mais histórias que vivi no Farense, mas não quero ser fastidioso!Outros Farenses certamente virão contar as suas histórias!
Deixo-vos a seguir um rascunho da história do Farense que no dia 1 de Abril do próximo ano atingirá a bonita idade de 100 anos!
..............................................................................................................................

Fundação
Foi em 1907 que o futebol chegou ao Algarve. A corveta “Duque de Palmela”, ancorada na Ria Formosa em Faro e na qual estava instalada uma escola de marinheiros, promoveu o futebol, modalidade já muito popularizada em Inglaterra.
O primeiro jogo de futebol improvisado foi disputado no Largo de S. Francisco, a 10 de Junho do mesmo ano, num terreno, também ele, improvisado.
Uma iniciativa que deu ideias a João Gralho, que imaginou em 1909/1910, a criação de um clube de futebol, com equipamentos, campo, sede e sócios, que pagavam por semana uma quota de um pataco. Essa ideia foi logo apadrinhada por outros jovens farenses, que permitiram que nascesse aquele que é hoje o Sporting Clube Farense, um dos poucos clubes portugueses que nasceu ainda sob o regime monárquico, tendo sido fundado a 1 de Abril de 1910.
Dos campeonatos regionais aos nacionais
Desde a criação da primeira associação de clubes no Algarve, em 1914, que foram criados os primeiros campeonatos regionais, e o SC Farense foi o primeiro campeão regional, tendo conquistado o “Campeonato de Faro” em 1914 (prova disputada apenas uma vez e apenas com os 4 clubes da capital algarvia que constituíam a U.F.F.) e o primeiro “Campeonato do Algarve” na época de 1914/15. O SC Farense seria campeão do Algarve por mais 5 vezes até 1938.
A partir da época de 1934/35 a “Federação Portuguesa de Futebol” cria definitivamente as ligas nacionais e o SC Farense entra para a II Liga nacional, onde se mantém até 1937/38, altura em que as ligas se passam a designar “Campeonatos Nacionais” num modelo bem mais “democrático” que o anterior. Assim sendo, a partir de 1938/39 o SC Farense passa a competir no “Campeonato Nacional da 2ª Divisão” e logo no primeiro ano classificou-se em primeiro lugar da sua série. No ano seguinte, o SC Farense voltava a classificar-se em primeiro lugar da sua série, e depois nos play-off’s nacionais sagrar-se-ia pela primeira vez Campeão Nacional da 2ª Divisão na época de 1939/40. Curiosa e ironicamente o SC Farense não subiria de divisão para a tão ansiada 1ª Divisão, pois esse campeonato era restrito aos círculos de Lisboa e Porto não permitindo a entrada de outros clubes até 1941/42.
O SC Farense continuaria na 2ª Divisão, ficando por várias vezes em 1º lugar da “Zona Sul”, mas sem nunca conseguir, no entanto, sagrar-se campeão e subir de divisão.
Nas épocas de 1947/48 e 1952/53 desceria à 3ª Divisão, mas subindo logo no ano seguinte em ambos os casos. O SC Farense continuaria a sua caminhada pela 2ª Divisão com vários primeiros lugares sem nunca conseguir subir, contudo em 1965 o SC Farense entra no pior período da sua história até então, descendo à 3ª Divisão e ficando até 1968/69. Em 1969/70 o SC Farense regressa à 2ª Divisão em plena força e conquista finalmente a tão desejada subida à 1ª Divisão Nacional.
Em 1970/71 o SC Farense competia pela primeira vez no “Campeonato Nacional da 1ª Divisão” e conseguiria nessa época ganhar em casa ao Benfica, FC Porto e Belenenses, e ainda fora ao Boavista e acabaria a época em 10º lugar. Este era o início de três décadas “douradas” do SC Farense .
O SC Farense ficaria na 1ª Divisão durante seis épocas consecutivas, até 1975/76, chegando ainda a classificar-se no 7º lugar em 1973/74.
A caminhada pela 2ª Divisão duraria até 1982/83 culminando com a conquista, pela segunda vez, do “Campeonato Nacional da 2ª Divisão”, e a partir daí o SC Farense mostrava-se determinado em se afirmar como o principal emblema do Algarve, apesar de clubes como o Olhanense e o Portimonense terem tido até então melhores carreiras pelo escalão principal do futebol.
Em 1983/84 o SC Farense regressa à 1ª Divisão e desce dois anos depois. Não fica na 2ª Divisão mais do que uma época, subindo logo a seguir. O SC Farense volta à 1ª Divisão em 1986/87, mas voltaria a descer à 2ª Divisão no ano de 1989/90. Ironicamente é nesse ano, competindo na 2ª Divisão, que o SC Farense escreve mais uma brilhante página na sua história.
Contra todas as expectativas o SC Farense chega à Final da Taça de Portugal, deixando para trás equipas como o GD Portalegrense (3-0), a UD Oliveirense (3-2), Odivelas (1-9), Esperança de Lagos (7-1), União da Madeira (0-0 e 2-0), Valonguense (4-0) e Belenenses (1-2) na meia-final. A 27 de Maio de 1990 encontra na final o Estrela da Amadora, onde empata (1-1) após prolongamento, o que obrigou a uma finalíssima oito dias mais tarde, onde perde por 2-0, a 3 de Junho.
O SC Farense tinha, no entanto, o primeiro lugar garantido no campeonato e a consequente subida, e partir de 1990/91 o SC Farense entra no melhor período de sempre, classificando-se logo em 7º lugar nesse ano, 6º lugar nas duas épocas seguintes, 9º em 1993/94 e culmina em 1994/95 com a melhor classificação de sempre, o 5º lugar no “Campeonato Nacional da 1ª Divisão” e o consequente acesso à Taça UEFA.
No ano seguinte a aventura pela Europa não durou muito, pois logo na 1ª eliminatória perdeu com o Olympique Lyonnais (0-1 e 1-0), mas foi suficiente para se afirmar definitivamente como a melhor equipa algarvia até então. Acabava de ultrapassar os mais directos rivais algarvios com a 16ª presença na 1ª Divisão (mais que qualquer outro), a presença na Taça UEFA (igualando o Portimonense) e a final da Taça de Portugal (igualando o Olhanense).
Manter-se-ia na 1ª Divisão até 2001/02 (entretanto designada “I Liga” desde 1999/00), quando entra no período mais negro da sua história, sofrendo a maior crise de sempre do clube e descendo consecutivamente de divisão três épocas seguidas, parando apenas na 3ª Divisão, mas culminando com a desclassificação em 2005/06, por ter dado 3 faltas de comparência devido a dificuldades financeiras que impediram a inscrição da equipa sénior deste ano.
Contudo, o clube renasce no ano seguinte, começando pelo patamar mais baixo do futebol, a 2ª Divisão Distrital. Nesta época de "re-estreia", o SC Farense sagra-se Campeão Distrital da 2ª Divisão.
Palmares do Farense
Taça de Portugal
45 Presenças - Melhor: Finalista em 1989/90
Campeonato Nacional da 1ª Divisão:
23 Presenças - Melhor: 5º lugar (1994/95)
Campeonato Nacional da 2ª Divisão:
36 Presenças - Títulos: 2 (1939/40, 1982/83)
Campeonato Regional do Algarve:
06 Títulos (1914/15, 1917/18, 1921/22, 1933/34, 1935/36, 1937/38)
Campeonato Distrital da AF Algarve (2ªDivisão):
01 Título (2006/07)
Taça UEFA:
1 presença (1995/96) - 2 jogos

4 comentários:

Anónimo disse...

Doentinhos da bola!

Anónimo disse...

a radio em questao era a radio ASA e nao o rcs e para que se saiba tocou o hino durante toda a noite

Anónimo disse...

VIVA O FARENSE. ISTO DE FALAR DO PASSADO NÃO CHEGA SR PEDRO. SE DIZ QUE É FARENSE FALE DO FUTURO QUE PARECE NEGRO E COM AJUDA DE SENHORES ILUSTRES DE FARO QUE TUDO FIZERAM PELO CLUBE ESTAMOS ASSIM.


FARENSES SÃO AQUELES QUE VÃO AO ESTÁDIO ALGARVE SEJA NA ULTIMA DIVISÃO OU NAS RESTANTES.

BRUNO SARAIVA

SÓCIO DO FARENSE DESDE SEMPRE E PARA SEMPRE

Anónimo disse...

Com tanto desemprego e os pobres a aumentarem, e ainda há pessoas a quererem desviar dinheiro para manter grupos a ganharem vários ordenados médios nacionais.