quinta-feira, outubro 22

E de Estádio de S. Luís


Para a letra E estava indeciso entre o estacionamento e o estádio!
Prevaleceu o estádio até porque tive o apoio do leitor Fernando, que espero continue a enviar umas dicas!
Quando falarmos de trânsito falaremos de estacionamento!
Haverá algum Farense que tenha conseguido resistir a ir ao Estádio S.Luís?
Sinceramente, não acredito!
Lembro-me do velhinho S.Luís, ainda em terra batida, e onde comecei a acompanhar o nosso Farense!
Tardes de glória e também de alguma tristeza!
Mas aquela subida vertiginosa da 3ª. à 1ª. divisão, com Aníbal Guerreiro e João Pires, como timoneiros da equipa, foi a rampa de lançamento para um Grande Farense!
Daí para a frente, independentemente do percurso desportivo, o Farense passou a marcar lugar de honra no futebol nacional, deixando de ser um clube local/regional, para ser um clube a nível nacional!
Com o trabalho de grandes Farenses, como José Custódio, Brazão Gonçalves, Jorge Cachaço, Fernando Barata, António Boronha, e muito e muitos outros, o Estádio S.Luís passou a receber os grandes e o Farense a bater-se taco-a-taco com todos!
Lembro-me do arrelvamento do estádio! Todos os dias por lá passava a ver a evolução das obras!
Depois foi a electrificação! Mais à frente como estádio onde iria decorrer uma competição a nível europeu, sofreu uma transformação mais profunda e passou a ser um estádio condigno!
Grandes momentos vivi no Estádio S.Luís!
Momentos de glória, com jogos empolgantes, com vitórias sobre os grandes que deixavam Faro e os Farenses orgulhosos da sua equipa, alternando às vezes com casos onde com frequência éramos penalizados pelo "aparelho" que tudo esmagava!
Mas, na natureza nada se perde, tudo se transforma!
O Farense caiu em desgraça e acabou fora das competições!
O passivo tinha atingido números medonhos, com dividas ao fisco e S.Social, penhoras, tribunais, e para salvar o Farense, os sócios resolveram vender o Estádio S.Luís!
Mas, como é costume dizer-se, quanto mais mal está o cão mais as pulgas lhe mordem!
Face aos 11 milhões de dividas, e calculado o valor comercial em 15 milhões, foi posto à venda!
Só que a maldita crise inviabilizou a venda! A única oferta foi de 5 milhões! Foi refeito o projecto para o tornar mais apetecível, mas, todos sabemos como anda o ramo imobiliário!
Assim, ali está o Estádio S.Luís, sem vida própria, moribundo, até que chegue a altura de ir abaixo, certamente dando lugar a várias torres de betão !
Será um dia triste para Faro e para os Farenses, mas a vida continua...
Fica aqui um pouco da história do Estádio S.Luís
..............................................................................
O Estádio Municipal de São Luís situa-se na cidade de Faro e foi ao longo dos anos o palco de jogos do principal clube daquela cidade algarvia o Sporting Clube Farense bem como uma das principais infraestruturais desportivas daquela região do país.
Aquele recinto foi mandado edificar em 1922, curiosamente ano do nascimento do Vitoria Sport Clube, por um emigrante português radicado nos Estados Unidos da América de seu nome Manuel Santo. É precisamente do nome do impulsionador do projecto que nasce o primeiro nome atribuído ao Estádio Municipal de São Luís, já que nos seus primórdios, aquele recinto de jogos era apelidado de Santo Stadium.
O Santo Stadium, hoje denominado por Estádio de São Luís, foi construído junto à Igreja de São Luís, na cidade de Faro, e desde logo dotado de infra-estruturas e comodidades invulgares para aquele época, destinadas a bem servir o publico como várias modalidades desportivas.
Foi inaugurado em Maio ou Junho de 1923, data a partir da qual o Sporting Clube Farense, começou a utilizar aquele complexo desportivo como arrendatário.
A partir do ano de 1930, o Santo Stadium passa a designar-se de Campo de São Luís, em substituição da anterior designação, passando, definitivamente a ser intitulado por Estádio Municipal de São Luís após a aquisição daquele espaço pela Câmara Municipal de Faro.
Aquele complexo desportivo da cidade algarvia ficou, a partir de 1960, dotado de iluminação artificial, em 1971 é substituído o pelado por uma superfície relvada.
Estádio Municipal de São Luís, foi um dos palcos do Campeonato do Mundo de Juniores realizado em Portugal no ano de 1991, sofrendo por via disso, diversas obras de ampliação e remodelação naquela altura, e em 1997 passou a ser composto de uma nova bancada lateral descoberta, com maior capacidade, em substituição do antigo peão.
Foi palco de inúmeros jogos das principais competições portuguesas, bem como alguns jogos de futebol internacionais, quer de selecções, quer de clubes, nas épocas em que o Sporting Clube Farense estava na alta roda do futebol luso. Actualmente, fruto da construção do novo Estádio do Algarve, bem como do quase desaparecimento do Sporting Clube de Farense, em face das inúmeras dificuldades financeiras, aquele espaço estará por certo condenado a desaparecer em alguns anos.
.................................................................
O Estádio de São Luís, em Faro, foi mandado construir em 1922 por Manuel Santo (um emigrante regressado dos Estados Unidos) que, levado pelo entusiasmo grande da época, e face à falta de um recinto desportivo digno da cidade de Faro naquela altura, adquiriu um terreno no "espaldão", perto da Igreja de S. Luís, com uma superfície de cerca de 12750 m², para aí edificar o "Santo Stadium" (primeiro nome dado ao estádio, por ser Manuel Santo o seu proprietário).
Os planos da época tinham previstas todas as comodidades possíveis para o público e, além de bancadas, contemplavam paralelamente a construção de camarotes, além de preverem e tomarem medidas para a prática de vários desportos. O estádio previsto foi dos primeiros em Portugal a ser construído com características específicas para o fim em vista.
O "Santo Stadium" abriria as suas portas pela primeira vez ao público em Maio de 1923, e logo a 24 de Junho desse ano recebeu o seu primeiro grande evento, a final da 2ª edição do Campeonato de Portugal, onde o Sporting CP levou de vencida a formação da Académica de Coimbra por 3-0. Foi a primeira vez, e uma das raríssimas ocasiões em que o referido evento se disputou fora dos grandes círculos de Lisboa e Porto.
Segundo notícia publicada em 21 de Setembro de 1924, o Sporting Clube Farense decide em Assembleia Geral, contratar com o proprietário do "Santo Stadium" o arrendamento do campo, para onde seriam transferidos os jogos do clube.
A partir de 1930 passa a designar-se de "Campo de São Luís", em detrimento da antiga designação.
A 25 de Novembro de 1942, o estádio é adquirido por Eusébio Tomás Lopes e quinze anos mais tarde, em 14 de Dezembro de 1957, é lavrada escritura que transfere o estádio para a autarquia municipal, por permuta com outros terrenos.
A Câmara Municipal de Faro mudou então o nome para "Estádio Municipal de São Luís", unicamente devido à sua posição geográfica.
Em 1960 são inaugurados os balneários novos e electricidade, e em 1971 foi inaugurado o relvado.
Em 1986, a 1 de Abril, a Câmara Municipal de Faro cede ao SC Farense o estádio de São Luís, no dia em que o clube completa 76 anos.
Em 1990 recebeu obras de ampliação e melhoramentos tendo em vista a recepção do Campeonato Mundial de Juniores de 1991, realizado em Portugal.
Em 1997 foi demolido o peão e construída a "Bancada Nova".

10 comentários:

Anónimo disse...

Será que ninguém acaba com a merda do futebol?
Há gente a passar fome porra!

Anónimo disse...

E acabando o futebol acaba a fome??
Utopia!

Luis de Faria e Silva disse...

Amigo Pedro
Muito obrigado por teres reproduzido a história do Estádio de S. Luís, sei o quanto te é grato falar do nosso S. C. Farense assim como de tudo o que a ele lhe diga respeito.
Jamais me esquecerei das alegrias que tive nesse Estádio (as tristezas já as consegui esquecer), e faço votos para que as possamos reviver.
Um abraço

filhe dólhão disse...

em olhão a CMO injectou 900 000 euros nas obras do estádio do sco josé arcanjo.
por essas e por outras o xico leal ganhou as eleições.em olhão.
foi por isso e por o psd não querer ganhar as elições com o gonçalo amaral.
assim sendo fez uma lista onde o 2º candidato à CMO pelo psd é o maior apoiante de xico leal.até se diz em olhão que o ps em vez de ter 4 vereadores tem 4+1 que é o prof alberto o tal que foi 2º da lista à CMO e que foi eleito,junto com o abundio.

Anónimo disse...

ou antes de existir futebol,havia gente a passar fome? Que ideia...mas já havia palha para burros e à fartazana...DJ

Anónimo disse...

Proponho o Estádio do Farense continue, sendo reconvertido para Banco Alimentar contra a fome...

Anónimo disse...

Acabando com o futebol, o $$$$ gasto nesta parvoíce é canalizado para bens essenciais.
Simples né?
Depois ficam a faltar as telenovelas, os padrecos e outras coisas mais.
Mas aqui do que se trata é do futebol.

Anónimo disse...

Do estádio podia-se fazer antes um curral para os burros.
...espera, isso já é!

JCB disse...

No estádio de São Luís lembro-me da talvez maior enchente que lá aconteceu na noite de 5 de Outubro de 1991, sábado véspera de eleições legislativas. O F. C. do Porto pediu adiamento do jogo alegando dificuldades para os jogadores votarem no dia seguinte. Coisas impensáveis mas que aconteceram e continuam a acontecer no nosso futebol.
A equipa do farense entrou em campo e o estádio encheu, bancadas e relvado. Quem lá apareceu solidário com o Farense foi o nosso conhecido Macário Correia candidato a deputado. Que se saiba o homem nunca gostou de futebol e muito menos do Farense, mas há que aproveitar para fazer campanha mesmo no sábado dia de reflexão. A coisa ia-lhe correndo muito mal, pois um grupo de pessoas a quem na altura lhes tinham derrubado umas casas, investiram em massa sobre o homem. Valeu-lhe o Tó Zé Boronha e mais alguns colegas de direcção que enfrentaram a multidão e evitaram a tragédia. O nosso homem apanhou o susto da vida e sumiu.
Voltou 18 anos depois.De futebol e do Farense penso que continua a não gostar. De ciclismo, basta ter visto a entrevista que deu à Helena Figueiras na RTP 1 para ver que o homem com aquela barriguinha não tem mesmo jeitinho nenhum prá coisa.
O protagonismo a prepotência e arrogância mantêm-se. Penso mesmo que já ultrapassou o Santana Lopes, atrás só mesmo do Alberto João.

Anónimo disse...

Gastar milhões para reerguer uma empresa de futebol com ordenados elevados e com pouca ou nenhuma viabilidade, acho que é contra todas as leis do capital.Isto se for com o dinheiro do "zé".Se for com dinheiro dos ilustres da terra, certamente esses ficarão na história.