quinta-feira, outubro 29

I de ILHA de FARO


A Ilha de Faro, que em boa verdade não é ilha, é a praia dos Farenses!
É um local paradisíaco, se nos abstivermos de olhar para o que de mal lá existe, e que é muito!
Eu, costumo dizer que é a melhor praia do mundo! Tendo casa em Quarteira, de que digo que é a pior praia do mundo, durante muitos anos sempre aluguei uma casa na Ilha de Faro!
Estacionava o carro na porta da frente e o barco na porta de trás! A nossa ria é um património de valor incalculável!
Bem merecia muito mais atenção por parte das autoridades!
Mas, falando concretamente da Ilha de Faro, é preciso por ordem em tudo!
O ordenamento do território tem que ser feito com urgência! Ninguém tenha duvida que há muitas casas que têm que ser derrubadas! E vão ser! Com Macário ou outro qualquer vai chegar o momento do camartelo actuar! O POLIS Ria Formosa contempla esta situação! Vamos ver é, se além do parecer técnico, é “acautelado o parecer social”! Os residentes em permanência, nomeadamente os pescadores e mariscadores, têm que ter um tratamento diferenciado relativamente àqueles que têm casas para lazer!
Depois, caso a caso, têm que ser analisados, todos os outros não moradores e a legalidade das casas e possibilidade de continuação!
Quem conhece a Ilha sabe bem que há zonas em que as casas estão separadas por estreitos labirintos! Se um dia há um incêndio, não se salva nada!
Por outro lado a construção sobre o cordão dunar traz problemas que põem m risco a própria ilha! Ainda por outro lado, e face à densidade populacional na época alta, não há sítio para estacionar, além de que o acesso é a ponte no estado que sabemos!
Todos sabemos a odisseia que é estacionar na ilha e só quem tem amigos é que consegue um lugarzito para o carro! A Câmara adquiriu um terreno na estrada para a praia para criar um parque de estacionamento com transporte garantido! É previsível que a situação melhore! Mas, só quando se fizer o ordenamento do território se poderá ter certezas para equacionar o problema do estacionamento!
Até lá continua o caos! Por fim, o Parque de Campismo tem que forçosamente ser totalmente recondicionado ou eventualmente acabar! Não tem as minimais condições para se fazer campismo! Verdade é que aquilo é mais um parque de estacionamento de roulotes e tendas em permanência!
Receber campistas passantes é mentira! Não há lugar! Temos assim que temos a melhor praia do mundo mas a necessitar com urgência de profundas intervenções! Só assim podemos ter a garantia de continuarmos a ter praia!
É bom que todos tenhamos consciência de que o que não se fizer, com urgência, vai continuar a pôr em causa a continuidade de existência da nossa praia!
Fica alguma informação sobre a Ilha
...................................................................
Igualmente conhecida por “Ilha de Faro”, esta extensão de areia faz parte da Península do Ancão, que delimita a Ria Formosa a poente. O acesso à Praia de Faro faz-se por uma ponte onde pode circular trânsito automóvel. Verifica-se nesta praia uma ocupação urbanística e uma intensa actividade turística durante o Verão. No entanto, nas extremas nascente e poente do areal as edificações de veraneio são substituídas pelas pitorescas casas dos pescadores e mariscadores, e as dunas e o sapal vão dominando a paisagem.
São muitas as actividades desportivas que se realizam nesta Praia durante o Verão, organizadas pelo Centro Náutico da Praia e Câmara Municipal de Faro. Durante os meses de Julho e Agosto há animação para todos os gostos e para vários públicos.
Nesta Ilha existem alguns restaurantes onde poderão ser apreciados os pratos típicos da zona e a grande diversidade de mariscos. Experimente o "Arroz de Lingueirão", prato típico Algarvio.
Ria É também possível aproveitar a praia na face do cordão arenoso virado a norte, para um canal da Ria Formosa. Aqui o areal é estreito e encontra-se ocupado por muitas embarcações e não há ondulação. A utilização deste plano de água para a prática de desportos náuticos é intensa. Área de grande beleza natural, a Barrinha oferece uma paisagem sem edificações e onde se pode observar a flora do sistema dunar e as inúmeras aves existentes. Trata-se de uma zona muito tranquila e normalmente deserta, que pode ser acedida a pé a partir da Praia de Faro, através de um longo passadiço de madeira ou de barco.
............................................................................
As ilhas da Ria Formosa são um dos ex-libris de Faro. A mais próxima fica a 8 km da cidade, na direcção do aeroporto: uma extensa língua de areia, conhecida como praia de Faro.
O acesso faz-se pela ponte, de carro ou num dos autocarros que durante o dia circulam entre a cidade e a ilha. Possui excelentes condições para a prática de desportos náuticos (jetski, surf, windsurf, vela...) e centros e clubes das várias modalidades.
Outras ilhas, mais distantes e de acesso menos fácil, são tranquilas, solitárias e apelativas para quem gosta de sentir que o mar lhe pertence.
A ilha da Barreta é um verdadeiro paraíso para quem gosta de estar isolado. Só tem acesso por barco, mas não há carreiras regulares. A solução é alugar ou comprar um.
Nas ilhas do Farol e da Culatra há algumas habitações de pescadores, e é possível alugar casa. Para ambas há carreiras regulares de barco a partir de Olhão (todo o ano) e de Faro (só no Verão). O percurso demora aproximadamente 25 minutos.



12 comentários:

Anónimo disse...

Há muitas casas que têm de ser derrubadas??? Então não são todas???
Ah, as dos ricos ficam!

kr0ss disse...

Peço desculpa mas vou ter que o corrigir: a melhor praia é a do Farol.
Melhor água, melhor ambiente, nenhuns carros e muito menos confusão.

Anónimo disse...

Sem dúvida!

Lima disse...

As casas dos pescadores, e mariscadores devem ter tratamento especial? Então a lei não é para todos igual? em sua opinião onde deve parar a descreminação? Eu acho que todas as casas devem ser retiradas, porque todas estão ilegais, construídas em terreno alheio, sem plano ou autorização;e são uma aberração ao panorama local! Além disso,são uma fonte de despesa para todos os contribuintes, que quase todos os anos têm de pagar toneladas de areia, para compensar a que se vai afundando com o peso das casas.

Anónimo disse...

E o anónimo das 7.21 é de Faro e se já tem uns anitos não deveria ficar surpreendido.

Pedro Cabeçadas disse...

Concordo que o Farol é melhor.Mas referia-me a praias com acesso normal...Estando na praia de Faro com um barquito, estamos no Farol, na Deserta,...
BFS

Anónimo disse...

Bom, se estivermos na Deserta ou no Farol com um barquito também num instante nos pomos na Praia de Faro.

Anónimo disse...

Sr. Lima:Quanto a mim o tratamento não deve ser igual!O SR. é mais um fundamentalista ambiental,ou um dos prevegiados que a cair tem de levar uns quantos pobres consigo!Não deixa de ter razão quando diz que é gasto dinheiro com recargas na praia, mas saiba que essas prais são ilhas barreira, ou seja travam o oceano.Se não estivesem lá o mar viria com a sua violência atacar o sapal e este rapidamente desapareceria e não haveria outra solução senão colocar uma protecção para substituir as ilhas. Estas ilhas sofrem naturalmente um desgaste(acentuado pelas construções marítimas de Quarteira) e essas areias que vão desaparecendo vão caminhando sempre para nascente, entrando algumas pelas barras e outras acumulando-se junto a obstáculos(molhes das barras) e outras ainda indo para Espanha.Assim sendo, a recarga das prais tem de se fazer sempre a não ser que se criem obstáculos regularmente para impedir aquela caminhada das areias,fixando-as.Eu não tenho casa nem rica nem pobre, mas penso que tanto umas como outras deveriam ser objecto de um reordenamento.Não é necessário demolir tudo.
Penso que não é com um barquito que que se passa de uma ilha para outra, têm de ser mais que um barquito e mais que um motorzito e mais que uns litrinhos de "papa".Boa navegação!

Floripes disse...

a zona da barrinha é de facto uma zona de grande beleza.não é por acaso que as aves voam milhares de para aqui nidificarem.pena que a policia maritima passe por cima dos ninhos.,das andorinhas do mar,como eu vi este ano com as moto 4 e uns mini jipes.
os agentes da P.M. deviam ser educados a patrulharem em zonas de nidificação.

Anónimo disse...

Continua,penso que por ignorância,pois não quero acreditar que seja por inveja,a desinformação sobre a legislação em que se baseia o urbanismo da Praia de Faro,e que leva alguns ignorantes a distinguir as casa dos "ricos" da dos "pobres" e a dos que vivem/trabalham do Mar/Ria!
Eu,que vivo PERMANENTEMENTE,na praia desde há quase uma década em casa que sempre foi pertença da minha família há mais de NOVENTA ANOS,tenho,quando me desloco a Faro,de enfrentar filas de transito e andar ás voltas para encontrar estacionamento e PAGAR por ele,não podendo estacionar em frente às milhares de portas,portões de moradores que utilizam casas que são tão legais ou ilegais quanto à minha..Se cuidassem de se informar,saberiam que também em Faro,como aliás,em todo o lado, há casas legalmente construidas e as ilegais,assim como na Praia e deixem os ignaros de dissertar sobre coisas que desconhecem,quando é tão simples,consultar a legislação e saber quais as casa semi-clandestinas (porque toleradas ,desde o 25 de Abril de 74)e as tão legais como aquelas em que a maioria dos opinadores habitam.
Quando ao "afundamento"da praia é de rir...se se falar do estreitamento da língua de areia,tenham a coragem de denunciar o crime que cometeram á praia de Faro com a criação artificial da marina de Vilamoura e posteriormente para evitarem o desaparecimento da praia de Quarteira,"chutaram" o problema para nascente,construindo os ESPIGÕES,que SÂO A ÙNICA CAUSA DO ESTREITAMENTO.Entulhem a Marina e retirem os espigões de Quarteira e vão ver que a Praia de Faro,regressa naturalmente ao seu tamanho normal.FC

marceano disse...

Atrazado mas a tempo... Embora gostasse mais há 50 anos da Armona, quase deserta, tradição de total nascença, a partir de 62 a Ilha começou a ser um "desvio"..~: mais moças, mais malta, bailes na esplanada~~malta diferente, apenas.
malta "dos estudes".. e então ficou a praia de eleição. Em 73 levei a roulote para o campismo, a minha mãe pela sua viuvez. E ali foi que os meus dois moços se criaram, nos verões, 3 meses por ano. Uma barquita, uma chata, um borracha, prá barrinha, sempre. Pró berbigão, pró paraíso. E mais 10 anos lá ficámos. Em 2001 voltei para lá morar, outra vez.
E lá fiquei mais 5 anos. O Havana, um espectáculo da juventude que não se quer largar, o João Pedro e família, eles, sabem fazer..! O Camané, o Choice, o Tarzan, a família Aeromar, e todos os amigos que tinha, lá fiz e que conservo as suas atenções, amizades e o carinho humano.
Mas, nesses invernos solitários, as noites sociais ficavam difíceis: saír cedo da praia era fácil, entrar de madrugada era fácil também, mas tantas G3...poça!
De tal modo que me senti prisioneiro num sítio dito aprazível. Haviam operações stop na ponte até às 6 da manhã, um estapafurdio de exagero. Já ninguém saía e poucos entravam, a menos que esperassem pelo sol. Excessos que nem na guerra de África vi, tampouco com tantas G3. E também gosto de armas, mas apontadas praqui? Era o que faltava.Em rotina??
Vi esse excesso no Charlie point, posto fronteiriço entre as 2 Berlins..quase era preso por fazer fotos, proíbidas no lado leste,.. nojentos..
Decidi e saí.
Por tudo isto tenho uma opinião sobre a Ilha. Que escrevi e bem.
Espero que o poder autártico considere o carinho que as pessoas têm pela Ilha, a Praia de Faro, social e familiar, todos, é um microclima social, um sítio... Não alterem muito, facilitem apenas.
Ahhh! Só no crime é que a autoridade se pode pôr à porta de um beco sem saída alternativa. Só nesse caso. Todos os tratados de paz definem que nós, humanos e todas espécies animais vivas, somos livres, precisamos de uma alternativa, à escolha.. Essa depois, será a nossa.
De tal modo que este verão nem 1 vez lá fui, de tal saturação~~ de um desequilibrio total.
Prá próxima... só com 2 entradas/ saídas, nunca juntas... se me apetecer, escolho eu.~~~
abrz

Lima disse...

Sr. anónimo das 10:18 não interessa se eu sou um fundamentalista, ou um bandalho. O que esá aqui em discussão, é aquilo que eu digo, e não aquilo que eu sou!
E o que eu digo é que a areia é uma massa amovivel, que quando suporta um peso, se move, não sendo portanto indicado para sustentar contruções. e não é justo para os contribuintes deste país terem de pagar quantias enormes para areia, só porque algumas pessoas a seu belo prazer dicidiram ir morar frente às ondas.